segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

O significado de gostar verdadeira e completamente de alguém


Muitas vezes, quando nos sentimos vazios, ao olharmos no espelho – sempre, e quase sempre mesmo – percebemos que nos falta a metade. Então começamos a procurar o resto, a tampa da panela, a metade da laranja, a alma gemea; E isso vira tão rotineiro, tão comum e tão assustador que esquecemos de olhar para os lados. Esquecemos de cuidar dos amigos e da família. Esquecemos o mais importante: cuidar de nós mesmos. Esquecemos de ver cada alma maravilhosa que nos anima todos os dias, esquecemos de ver cada aura de boa energia a nossa volta, que nos quer bem do jeito que somos, como somos.

Acho que quando gostamos verdadeiramente de alguém – nem mesmo chego a me atrever a escrever sobre amor aqui – a gente não se importa como a pessoa se veste, não se importa como e de que cor é seu cabelo, não se importa com religião, estilo musical, se a pessoa tem tatuagens ou se usa roupas que tapam o corpo inteiro. Não liga pra batom, pra unha pintada, barba feita, carro novo, dinheiro no banco.

Quando a gente gosta de alguém, a gente espera todos os dias acordado esperando a pessoa chegar em casa pra saber se está tudo bem. Espera ela ligar, mandar mensagens, aparecer. Quando a gente gosta de alguém a gente se veste pensando nela, acorda pensando nela, come, bebe, dirige, fala, escuta músicas pensando nela. A gente gosta de como ela se veste, daquele jeito simples e tão bacana, que não precisa ser roupa de marca, isso não muda nada. A gente gosta dos cabelos coloridos, dos cabelos sem cor, dos cabelos ondulados, lisos, embaraçados. Gostamos de unhas feitas e não feitas, de esmalte de qualquer cor, de barba, de semi-barba, de nenhuma barba.

A gente gosta das pessoas pelo que elas tem por dentro, pelo coração, pela alma. Por que se tem uma coisa que eu aprendi nesses 18 insignificantes anos da minha vida é de que o que tem por dentro é muito mais importante do que qualquer aparencia, do que qualquer valor em conta bancária. Beleza e dinheiro não compram amor, nem felicidade, nem amizade nenhuma. Se tiver é um bônus, se não tiver é uma dádiva.

Jéssica Bett.

Nenhum comentário:

Postar um comentário