quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Por mais escura e longa que seja a noite, o sol sempre volta a brilhar


Sabem aquela velha história de luz no fim do túnel? É real. É, é real sim.

Eu conheci uma menina cheia de problemas uma vez. Quando ela era mais nova, era gordinha e tinha os cabelos espantados, e tinha muito complexo por isso, por que todas as outras meninas eram lindas e perfeitas. Os pais trabalhavam fora o dia todo, então ela fora criada por sua irmã e irmão mais velhos, ficando mais tempo com o irmão.
Acabou fazendo coisas de menino o tempo todo, e assim teve mais amizade de meninos e consequentemente acabou mal falada por todo mundo que não a conhecia como deveria. O complexo consigo mesma e sua personalidade só foi aumentando cada dia mais. Ela acabou sofrendo de bulimia nervosa e depressão. Emagreceu muito. Começou a pintar os cabelos e alisar todos os dias. Fez progressiva e começou, aos poucos, a se tornar uma menina linda.

Ela sabia esconder bem tudo o que passava. Ela gostava de um garoto que nunca dava a mínima atenção para ela. Mudou de turno seus estudos, mudou de amizades, mudou sua vida tudo o que podia. Acabou mudando de instituição de ensino por fim e então mudou totalmente sua vida. Com o tempo não aguentou a pressão de todos os problemas sozinha e acabou se apoiando em amigos que nem sabia que ela tinha.

Superou a bulimia nervosa, melhorou da depressão, passou a se aceitar mais como era. Ganhou um par de amigos perfeitos que a amavam sobre todas as coisas. Se tornou uma menina linda, diferente, e de bem consigo mesma. Conquistou as pessoas por ser quem era, quem ela sempre odiou ser mas que, agora, era a melhor coisa do mundo.

E ela me disse, em uma de nossas conversas entre mente e coração, que não importa quão longa, escura e tenebrosa seja a noite, o sol sempre volta a brilhar. Não importa o quanto demore.



Jéssica Bett.

Nenhum comentário:

Postar um comentário