quarta-feira, 26 de junho de 2013

Por que eu?



Sei que na maioria das vezes as pessoas se perguntam "por que não eu?", e que isso pode ter um milhão de respostas e mais ainda interpretações. Para se ter uma ideia existem músicas que falam disso por ai, sobre essas questões atemporais.

Mas eu? Bem, acho que isso soa meio egoísta no final das contas mas, nunca me fiz essa questão, embora hoje em dia é que eu tenha descoberto o por que. E ai você deve estar angustiado pensando se vou contar o que foi que aconteceu na minha vida mas, infelizmente ou felizmente, não vou. Não gosto mais de drama, isso não combina mais comigo. Ao invés disso vou te dizer: Por que eu e não você.

Eu durmo a maior parte do meu tempo, pinto meus cabelos, fumo pendurada na janela e gosto de falar sozinha; Coleciono livros que ninguém pode tocar, fiz minhas próprias prateleiras e pendurei no coração. Vez ou outra, e é bem raro, eu desço as escadas do meu apartamento para ir ao mercado, de pijama mesmo, comprar jujubas, para depois parar no caminho e comer todas antes de chegar em casa.
Tatuei um dragão na perna e uma âncora no calcanhar. A muito tempo atrás me recusei a afundar e nem sei onde é que isso tudo entrou na minha vida. Uso chapéu, e dai? Jaqueta jeans, e o que mais eu quiser mesmo que não faça sentido, ninguém se importa aqui, muito menos eu.

E então, será que deu para entender por qual razão é que fui eu a escolhida? Eu acho que não, eu mesma demorei uns bons 6 anos para poder descobrir, mas também tanto faz. Eu acho.


Jéssica Bett.

Nenhum comentário:

Postar um comentário