quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Sobre amar alguém.



Chegou bagunçando tudo, entrou sem dizer nada, não pediu licença e também não quis sair quando quis te tirar daqui.
Dizer que me apaixonei desde o começo, desde a primeira vez que ouvi a sua voz é algo que é bem óbvio até, o problema foi quando comecei a amar tudo em ti, desde o seu riso, até seu lado mais sombrio, que tu me deixou ver. Eu não quero mais tentar fugir, não quero mais tentar fingir que não sinto nada. A verdade é que se eu te mudei, tu me mudou muito mais. Tirou os meus medos como ninguém conseguiu até hoje, me pegou pela mão, saiu andando assim sem pedir permissão e levou para o céu. Destruiu tudo o que eu achava que era meta, que era certo, me virou do avesso, me desconstruiu inteira, me fez perceber o quanto é bom me sentir viva.
Andamos no mesmo ritmo, ouvimos as mesmas coisas, sonhamos igual, nos damos perfeitamente bem, brigamos perfeitamente bem.
O jeito como tu me olha atrás dos óculos escuros, o jeito como segura minha mão, o jeito como tenta controlar ciume, como tenta cuidar de mim. O jeito com que você disse entre beijos que me ama, que por mais que estivesse fazendo tudo errado queria tentar. O jeito com que me olha com urgência, como me faz sentir urgência. E como tu é idiota, e como tu me deixa idiota. Como tu resolve tudo e tá sempre aqui pra mim. Como tu surta, como tu me acalma, como tu me faz com uma música ficar boba o dia inteiro, sorrindo como se tivesse ganhado o mundo. E eu ganhei, ganhei o teu.

Não some. Fica. Não me deixa nunca mais. Fica.


Só queria te dizer que tu fica lindo de azul.


Música de hoje.


Jéssica Bett.

Nenhum comentário:

Postar um comentário